sábado, agosto 16, 2008

Alô, experiência, 1, 2, 3: Rita Braga

Talvez não seja a maior cantora portuguesa.
Nós, aqui no Portugal, Caramba! até diríamos que não, embora, claro, admitamos que possa vir a ser.
O que nos interessa, francamente, é a personalidade: tem um percurso que vale a pena espreitar e tem um sorriso bonito. Não nos parece que seja sócia do vastíssimo clube dos Luso-depressivos. Diverte-se enquanto canta. E sorri.
Aleluia.

8 comentários:

Anónimo disse...

se issto é cantar..,não basta sorrir a canta

ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Não sabe o que se passa nos novos talentos portugueses. Sabe dos Ninivitas? Do Tiago Guillul?

anita disse...

Não era este o post que devias ter feito hoje. Lamento que não entendas homenagens

tacci disse...

Anónimo:
Claro que é cantar. E o sorriso importa porque mostra que a cantora gosta do que está a fazer, que se diverte tanto como o seu público.
E não não conhecia os Ninivitas. Obrigado pela dica. Fui a correr ouví-los e confesso que não me impressionaram demasiado. São barulhentos e não me dizem nada que o Manuel João Vieira não tivesse já dito.
Claro que estou pronto para mudar de opinião quando os ouvir melhor.

tacci disse...

Anita, acredito que tenhas razão. Nunca fui muito bom a fazer o que devia.
Os leitores interessados podem fazer muito melhor se consultarem o Google.
Um abraço.

tacci disse...

PS, Anita:
Estavas a referir-te ao Dorival Caymmi?

anita disse...

Por exemplo, ;)