domingo, janeiro 25, 2009

Subsídios para o Livro de Aka (IX)


Aka, com os lábios apertados, sem prestar atenção ao que estava a fazer, deixava os dedos correr pelas teclas do clavicórdio, suavemente por vezes, brusca, quase violenta noutras.
- Aia?
Os dedos insistiram no mesmo acorde, repetido uma vez e outra e outra.
A Aia cortou a linha com os dentes e examinou o bordado:
- Hum? - fez ela.
- A igreja é uma associação de pedófilos homossexuais?
- Igreja? Qual igreja?
- Esta. - com um gesto do queixo indicou as revistas abertas, espalhadas pelo tapete.
- Claro que não, Aka. Como podes dizer uma coisa dessas?
- Não sei. - os dedos interromperam o acorde e ficaram como que a tocar o ar e as suas teclas invisíveis. - Não sei nada, Aia. O que é um homossexual? Aqui diz que os surdos mudos foram sodomizados num colégio de padres. Eu tenho um irmão que é surdo mudo, sabes? Não sei como se chama, é o filho mais velho da segunda concubina do meu Pai, lembras-te, aquela que é mahori e tem o rosto tatuado? Quando nós vivíamos em Florença e ele vinha brincar connosco para o terraço grande, do lado do Arno, nós dizíamos «sschiu.... agora ninguém fala: quem ele entender primeiro, ganha!» Chamávamos-lhe o Shiu-biu e ele nunca nos disse se tinha outro nome.
Os dedos voltaram às teclas para as primeiras frases de Limelight.
- E o que é sodomizar?
- Aka, nada disso é da tua conta. Esquece essas revistas, por favor. Se o teu Pai soubesse das porcarias que tu lês, não te tinha mandado aprender. A culpa é minha que te deixo trazer isso tudo para casa.
- Estou a pensar...
- Aka! Chega! Proíbo-te de pensares mais seja o que for.
- Achas que o Papa desta vez lhe vai enviar um pedido de desculpas?
- Desculpas? A quem?
Só os acordes do clavicórdio lhe responderam.
A Aia atirou a caixa de costura para o chão.
- Estás a ficar insuportável, Aka.

3 comentários:

ana disse...

Cada vez melhor

MC disse...

está mesmo muito bom.

tacci disse...

Ana e Conceição:
obrigado às duas.