sábado, novembro 04, 2006

Sebastião Alba

Olvido Lleno de Memoria

Ao reconhecer que a sorte nos contemplou com alguma perfeição, devemos apagar-nos um pouco, para não humilharmos os outros.
"O que estás a dizer é muito grave, Alba?"
"É. Estabelece o limite entre nós e as pessoas vulgares."
"Temos que escorrer o nosso orgulho, mesmo que legítimo?"
"Escorrer, dizes bem. É uma espécie de lodo em que nos afundamos, dentro de nós."
"Leste isso em S. Francisco de Assis, Alba?"
Sebastião Alba, Albas, quasi, 2003, /181/ pag. 183

2 comentários:

Luís F. de A. Gomes - Atirei o Pau ao Gato disse...

Viva Tacci!

Bem-vindo(a) a este humilde blog que muito se alegra e embeleza com a presença de alguém que acrescenta um espaço tão bonito e original a este universo rico e livre da blogosfera. O nosso maior desejo só pode ser que a visita se repita muitas e muitas vezes e, se possível, não se limite aos comentários das várias janelas que o "Atirei o Pau ao Gato Apresenta"; seriam os leitores quem ganharia com isso.
Os melhores votos de saúde, extensíveis a todos quantos lhe(s) sejam queridos.

Luís F. de A. Gomes

PS

Esta foi a nota de boas vindas que publicamos "No Largo da Graça".
Aproveitamos para apresentarmos o convite para a conversa lusófona que a partir de amanhã decorrerá naquela praça. Basicamente, o tema resume-se na pergunta, que quis Fernando Pessoa dizer com a expressão, "a minha pátria é a língua portugusa"? Desde já o nosso bem-haja pelo contributo.
Renovamos os melhores votos de saúde

tacci disse...

Obrigado pelas suas palavras, Luís. Claro que vou aparecendo. Faça o mesmo, se tiver a oportunidade. Um abraço.