sexta-feira, dezembro 15, 2006

Hainnish Mãe

A Hainnish gosta de escrever pequenas histórias, pelo menos enquanto não tem tempo para as grandes. Por vezes, o tempo é tão pouco que só lhe resta dar aos filhos um pequenino poema. Eles decoram-no logo, divertidos e orgulhosos.
A Minha Mãe

Debaixo da cama

Tenho um lobo mau.

E no meu armário

Vive um animal.

Mas no quarto ao lado

Dorme a minha mãe

Que guarda o meu sono

Como mais ninguém.


4 comentários:

Kaos disse...

Vim agrdecer a visita e também conhecer mais um belo cantinho da blogosfera. Gostei Muito e espero voltar mais vezes.
Mais uma vez obrigado pela visita e também pelas palavras escritas
Um abraço e Bom fim de semana

Gi disse...

Com letras infantis já amarelecidas pelo tempo, tenho guardado um papelinho com palavras que muito possivelmente foram retiradas de um outro lado qualquer (mas que aos meus olhos não lhes retirou qualquer valor) que diz, "As mães são anjos que estão a aprender a ganhar asas".
depois de ler o Tacci talvez tivesse acrescentado, as guardiãs do sonhos...
A aguarela, como sempre, uma delícia.
Boa semana Tacci

tacci disse...

Seja sempre bem aparecido, Kaos. Um abraço e felicidades.

tacci disse...

Gi, a Hainnish vai ficar muito orgulhosa com as suas palavras (provavelmente já as leu). Os filhos dela estão na idade da imaginação delirante e dos medos inventados que correm o risco de se tornar reais.
Os versos, se calhar, fazem-nos sentir mais confiantes e evitam o risco.
Boa semana para si também e um abraço.